Constelação Familiar

Constelação Familiar

O trabalho de Constelação Familiar vem a partir da concepção da vida, do fluir no desenvolvimento natural. Estamos inseridos dentro de um grande sistema contínuo, de diversos elementos que se interagem e de certa forma são inter-dependentes uns com os outros. Nós, por exemplo, precisamos dos elementos básicos da natureza como os alimentos, a água e a luz solar.

Nenhum organismo é um sistema estático, fechado ao mundo exterior; e sim um sistema aberto num estado (quase) estacionário, onde há uma constante troca de informações entre os mais diversos níveis.

Não temos como falar de constelação familiar sem falar da visão sistêmica.

Nascemos dentro de um sistema familiar, que existe há muitos anos e onde não sabemos direito o seu histórico por completo. Foram gerações atrás de gerações, com muitas histórias, acontecimentos, e situações felizes e trágicas.

Herdamos através dos nossos pais e ancestrais toda a carga morfogenética (morfo=forma) e não damos conta dos padrões, das crenças e até mesmo dos “repetecos” de histórias dentro da nossa família.

Por exemplo, quando temos algum comportamento como violência, ciúmes, envolvimentos com drogas, ou sentimentos de depressão entre outras manifestações, muitas vezes podemos estar identificados com um membro da família seja pai, avô, tio ou mesmo de gerações ainda anteriores, sejam elas pessoas vivas ou falecidas.

O trabalho de constelação familiar é uma oportunidade de identificarmos de forma consciente o que está acontecendo com o sistema familiar, podendo assim resolver os conflitos a partir da escolha interna de cada um.

Metodologia

O trabalho com constelação sistêmica pode ser realizado em grupo (workshop) ou individualmente. É um trabalho fenomenológico. O constelador centra-se em seu íntimo e deixa de lado as próprias crenças e valores pessoais para acompanhar aquilo que se apresenta.

Em grupo, o cliente escolhe participantes presentes no workshop para representar membros da sua própria família ou da situação que deseja constelar. Por exemplo, num conflito entre pai e filho, o cliente poderia escolher uma pessoa para ser ele próprio e a outra para ser o seu pai se fosse este o caso. Essas pessoas assumiriam uma postura dentro do campo da constelação, onde a partir de então o importante é apenas perceber qual a necessidade de cada um, respeitá-la e viabilizar a oportunidade para que isso aconteça para que ambos se sintam livres e vivam em harmonia. O trabalho pode acontecer também diretamente com o próprio cliente dentro da constelação, o que depende muito de cada caso.

Benefícios

O trabalho de Constelações Familiares é algo ainda muito recente no Brasil. Poucas pessoas já tiveram a oportunidade de participar de um workshop ou atendimento individual nesta abordagem. Como tudo que é novo, a Constelação Sistêmica Familiar traz à tona muitas dúvidas e inseguranças nas pessoas que desejam conhecer o trabalho. Várias perguntas, como as já abordadas em nosso artigo Perguntas Frequentes, surgem nas mentes das pessoas. Entretanto, a mais comum é: “O que eu ganho com isso?”

Quando surge tal pergunta que eu costumo dizer que o trabalho de Constelação Familiar transcende a terapia e passa a ser mais filosófico. O que quer uma pessoa que faz uma pergunta como essa? Ela quer algo. Quer a certeza e a segurança de que receberá algum benefício, afinal ela pagou para constelar ou participar do workshop. E o que acontece com a responsabilidade da pessoa quando faz essa pergunta? Ela se esquiva da responsabilidade. Joga-o para o interlocutor. Imagine, por exemplo, uma pessoa que tem uma dor de cabeça. Ela vai à farmácia, dá dinheiro ao atendente e recebe um analgésico em troca. Ela pagou pelo produto: o analgésico. O atendente dá o remédio e, a partir daí, ela tem várias possibilidades: tomar o remédio, guardar o remédio, jogá-lo fora etc. A responsabilidade do atendente termina no momento que ele dá o remédio. Nada garante também que, caso ela tome o remédio, a dor de cabeça desaparecerá, mas isso é outra história.

O trabalho de Constelação Familiar é diferente. Enquanto, o analgésico procura aliviar o incômodo, nosso trabalho e responsabilidade é propiciar um campo para olhar a causa daquilo que atua no desconforto. O incômodo faz com que o cliente olhe para algo. Geralmente, é algo que foi excluído ou rejeitado. Há tensão. Quando as dinâmicas do tema do cliente vem à tona, ele entra em contato com aquilo que atua em si mesmo, e a partir daí há uma nova possibilidade. Algo se transforma.

Todos que participam deste campo, inclusive aqueles que não constelam um tema, são trabalhados. Todos tem a chance de descobrir novas possibilidades, insights e caminhos para sua vida. Pode ser que isso ocorra a partir de um tema pessoal que foi trabalhado ou pode ser que ocorra a partir da participação do tema de uma outra pessoa. Pode ser que aconteça no momento da constelação ou pode ser que leve alguns dias ou semanas. A alma tem seu próprio tempo e pega para si o essencial do que foi trabalhado. A transformação ocorre naturalmente, sem forçar a barra.

Assim como a Vida, não temos controle do trabalho de Constelações Familiares. Não sabemos o que emergirá do sistema da pessoa. Não se trata de arrumar ou consertar o sistema ou a pessoa. Não se trata de controle. Trata-se de se conectar com algo que atua em você mesmo e olhar com Amor para aquilo que foi rejeitado ou excluído. E para isso, é necessário coragem.

O que pode se trabalhar

Como é um trabalho de pulsação da vida, do fluir, então tudo que está relacionado com a vida pode ser trabalhado, desde que traga um significado importante para você. Alguns dos temas trabalhados em uma constelação podem ser:

  • Conflitos familiares (pais, filhos, irmãos, tios, avôs);
  • Conflitos entre casais;
  • Dificuldade em lidar com perdas de parentes, pessoas queridas ou o parceiros;
  • Dificuldade em relacionar-se de uma forma geral;
  • Dificuldade em comunicar-se;
  • Problemas de saúde;
  • Conflitos entre sócios, funcionários e clientes
  • Problemas financeiros.

     Perguntas Frequentes

    O que é Constelação Sistêmica Familiar?
    Constelação Sistêmica Familiar é um trabalho filosófico e terapêutico que foi desenvolvido pelo pedagogo, psicoterapeuta e filósofo alemão Bert Hellinger.

    Como se desenvolve o trabalho de Constelações Familiares?
    O trabalho de Constelações Familiares pode ser desenvolvido individualmente ou em grupo. Individualmente, o cliente traz um tema pessoal em que o constelador pode trabalhar com bonecos para representar papéis da situação em questão, ou o constelador pode trabalhar sem nenhum recurso externo onde ele próprio e o cliente podem representar os papéis dentro da constelação. Em grupo, você pode participar trazendo um tema pessoal para ser trabalhado (Constelar) ou apenas assistir ao workshop estando disponível para representar em alguma constelação.

    O que significa “Constelar um Tema”?
    Constelar um tema é uma das maneiras de se participar de um workshop ou do atendimento individual. A pessoa que escolhe constelar um tema é denominado de cliente. O(A) cliente traz um tema pessoal que quer trabalhar. O constelador explora o tema com algumas perguntas e pede para o cliente escolher pessoas que irão representar determinados papéis. O cliente coloca os representantes no salão e o constelador irá acompanhar a dinâmica que surgir.

    O que significa “Assistir” ou “Participar como Representante”?
    Nesta forma de participação, a pessoa ficará apenas disponível para participar ou não de alguma constelação. Poderá também fazer perguntas entre as constelações sobre qualquer assunto relacionado.

    Qual o objetivo do trabalho com Constelações Sistêmicas Familiares?
    O objetivo principal do trabalho é se expor à tudo que atua no cliente e no sistema no qual ele(a) está inserido.

    O que é um sistema?
    Sistema é um grupo de pessoas ou coisas, que permanecem unidos ou vinculados, em função de um interesse comum ou forças que os permeiam, independente de que tenham consciência ou não.

    Quais temas podem ser trabalhado nas Constelações Sistêmicas Familiares?
    Qualquer tema importante para o cliente onde ele(a) não esteja conseguindo solução pode ser trabalhado, tais como: relacionamentos, desequilíbrios emocionais, separações, doenças crônicas, problemas financeiros, falência, vida profissional, entre outras.

    Quanto tempo dura um trabalho de Constelação Familiar?
    A duração de uma constelação familiar é imprevisível, pois depende do sistema sendo trabalhado, do tema, dos representantes e do constelador. Pode durar de 5 minutos à 1 ou mais horas. O tempo de duração de uma constelação também não possui nenhuma relação com o efeito que ela terá no cliente e nos representantes.

    Quais as diferenças entre Movimentos da Alma e Constelações Sistêmicas Familiares?
    Movimentos da Alma é a nova denominação que Bert Hellinger adotou para o trabalho de Constelações Sistêmicas Familiares. É uma nova fase de seu trabalho. Antigamente, no antigo trabalho de constelações familiares ainda se procurava uma solução para a constelação. No novo trabalho de Constelações Sistêmicas Familiares ou Movimentos da Alma o constelador renuncia até mesmo à intenção de encontrar uma solução para o cliente e deixa-se guiar pelos movimentos de todo sistema em uma postura totalmente fenomenológica.

    O que é uma postura fenomenológica?
    É uma postura interna onde a pessoa se isenta de qualquer interpretação, julgamento, conhecimento prévio ou intenção e passa a observar e acompanhar os fenômenos do que jeito que se apresentam com total presença.

 

 

 

2 pensamentos em “Constelação Familiar”

  1. Bom dia. Sou advogado na cidade de Macapá-AP e atuo diretamente no TRT8, por isso fiquei sabendo do Curso por meio do site. Acontece que não poderei participar nessa data 25 a 27/ maio.

    Mas tenho muito interesse em participar em outra ocasião. Tem alguma previsão de ocorreu algum curso aqui na minha cidade MACAPÁ-AP?

    96-991909756 (watts)
    Gerson

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *