Tomado pela rejeição. E agora?

Tomado pela rejeição. E agora?

Se você refletir por alguns minutos sobre a sua história de vida, vai se deparar com situações em que foi rejeitado (a), e pode ser que naquele momento você nem se deu conta do que estava acontecendo.
Como podemos identificar a rejeição?

Momentos da sua vida em que o movimento de interação, integração, fusão e aceitação cessou, ou nem mesmo chegou a acontecer.
Depende de onde você está indo, qual o seu interesse, necessidade, vontade e simplesmente escolha. O consentimento de que aquilo que está por vir, ou está ali diante de você é necessário, faz com que você gere a expectativa de um retorno positivo, porém, quando essa resposta não acontece pode provocar sintomas da rejeição. A rejeição não acontece sozinha, pois ela é seguida de expectativa.

Quando você é afetado pelo estado de rejeição sem reconhecer fica mais difícil transcender o sofrimento. O sofrimento a longo prazo pode gerar uma desilusão social, recolhimento excessivo, dificuldade para se relacionar, falta de motivação, tristeza e angústia, que podem evoluir para uma depressão ou doenças psicossomáticas.
O estado de rejeição é algo que afeta a mente através dos pensamentos e os sentimentos através das emoções e, um integrado ao outro leva às seguintes consequências:

– estado de desvalorização e abandono;
– sentimentos e sensação de inadequação;
– perda da referência emocional e confusão mental;
– vontade de desaparecer, ansiedade, irritabilidade e tristeza;
– (em alguns casos) náuseas, dores de cabeça e tontura;
O gatilho de mudança para um estado tranquilo e otimista é reconhecer a falta de compatibilidade entre as partes e não necessariamente auto desvalorização.

Reafirme o seu valor, intenção e vontade; questione como você direciona o alvo. Você não escolhe e nem é escolhido: ambas as partes se atraem e o vínculo, projeto, amizade, amor e parcerias acontecem.

Para que isso aconteça naturalmente é importante definir exatamente quem você é, aquilo que sabe, se pode e onde quer chegar e então saber expressar através de uma comunicação eficiente.
Muitos desencontros acontecem pela falta de comunicação, que também é seguida por desentendimentos.

Quando sua percepção é realista, você sabe quando avançar e quando deve recuar. Agora se você estiver imerso em ilusão, descontrolado por desejos e necessidades emocionais, ou carente de algo urgente, é comum abrir uma brecha para situações onde você vai ser rejeitado.

O espaço para o sofrimento começa em você. O mal pode ser temporário basta você ressignificar os acontecimentos e redirecionar a sua energia.

O indivíduo tomado pelo estado de rejeição fica mais vulnerável, sujeito a comportamentos de autodestruição, como consumo excessivo de álcool, tabaco, drogas ilícitas, exposição a situações de riscos diversos. Portanto, reflita se hoje você apresenta alguns desses comportamentos e como é seu histórico de momentos de rejeição.
Quando a rejeição acontece no período de infância a longo prazo é importante a pessoa realizar algum tipo de trabalho terapêutico para limpar os registros e ressignificar algumas situações. Quando isso acontece é possível resgatar a autoestima, que é fundamental para o êxito nos projetos e relacionamentos.

Como terapeuta, eu indico a terapia de regressão de memória para liberação dos traumas e bloqueios provocados pela rejeição.
Você é um Ser único, e por isso é especial, incomparável e exclusivo; sua beleza é autêntica e natural e quando se permite, é possível revelar um potencial nato.
Seja, compareça e esteja!

Artigo: Terapeuta Elaine Lilli
www.institutouniao.com.br
elaine@institutouniao.com.br

Gostou?
Compartilhe
envie seu email (inbox) e recebe mais artigos sobre autoconhecimento e relacionamentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *